sábado, 30 de maio de 2009

Duas ou três coisinhas sobre as «nossas» eleições


Vários colegas já se me dirigiram e questionaram-me sobre os resultados das eleições, quantos votos contra quantos, como decorreram as votações, etc, e eu verifico que muitos estão mal informados, ou, quanto muito, desinformados.

Ora já se passaram quase duas semanas depois desse acto tão querido da Democracia que são as Eleições, as «nossas» Eleições. Como já disse antes, fiquei chateado pelos resultados, pois não gosto de perder nem a feijões (embora o meu Benfica tenha vindo a habituar-me a pouco e pouco)! E como tinha abraçado este projecto de alma e coração, pensei que desta é que o nosso agrupamento entrava nos eixos.

Os resultados foram, em primeiro lugar, maus para mim e para a pessoa que eu considerava aquela que reunia as melhores condições para ser Directora da nossa escola e, por consequência, dar um outro ritmo, com mais sucesso, melhores resultados, mais respeito e disciplina.

Basta observar os dois projectos, coloquem-nos lado a lado e vejam as diferenças. Um, com princípio, meio e fim; outro, igual ao que sempre foi, tão certa estava a vitória!

As diferenças são tão gritantes que, imaginem, já há quem queira «adapta
r» soluções do Projecto perdedor!

Ao longo das duas semanas que então passaram, fui recolhendo infor
mações aqui, sinais ali, uma dica daqui, outra d'acolá… Quanto mais sabia, mais queria não saber. Quanto mais me diziam, mais na ignorância queria ficar. Mas adiante.

Ora bem, de que vou falar em primeiro lugar?

1. Os resultados

Os resultados oficiais, como foram publicitados, foram de 12-9 para quem ficou como Director.

Mas as coisas não foram tão lineares assim. Tudo aquilo que se passou nessas eleições parecia um filme de Fellini, tão surreal tudo foi.

É que a votação registada só foi conseguida à segunda volta. Numa primeira votação o resultado foi de 10-10 com um voto em branco. Ora segundo foi prática noutras votações noutras escolas/agrupamentos por este país fora, a votação deveria ter sido repetida num prazo máximo de cinco dias!


Admirados? É que no ponto 2 do artigo 7º do Regulamento do Recrutamento Director do Agrupamento Vertical de Ponte de Sor, reza o seguinte:


«No caso de nenhum candidato sair vencedor, nos termos do número anterior, o Conselho Geral Transitório reúne novamente, no prazo máximo de cinco dias úteis, para proceder a novo escrutínio, ao qual são apenas admitidos os dois candidatos mais votados na primeira eleição e sendo considerado eleito aquele que obtiver maior número de votos, desde que respeitado o quórum legal e regulamentado exigido para que o Conselho Geral Transitório possa deliberar.»

Entendem? «Reune novamente…», estão a ver? E o que foi feito? «Não senhor, é já a seguir, fazemos 45 minutos de intervalo para fotocopiar novos votos e vamos votar já!»

E meus amigos, o que se terá passado nesses 45 minutos…
Consta que até houve conversas com um membro do Conselho, que parece que tinha votado em branco…

E, milagre, os 10 votos da oposição, chamemos-lhe assim, transformaram-se em 9!!! Creio ser a versão inversa do «Milagre da Multiplicação dos Pães»!

Portanto, e como dizia o saudoso António Guterres, é fazer as contas! Socorro-me da minha calculadora e:

10 votos + 1 que deixou de ser branco + 1 de alguém que «metafisicamente» resolveu que aquilo que tinha votado há 45 minutos atrás tinha sido afinal feito por um clone seu que se intrometera no Conselho Geral transitório, e voilá! 12 votos e viva a Democracia! Toma lá que já almoçaste!!


A oposição? 9 votos e não digas que vais daqui!


OK, o tal ponto 2 diz «no prazo máximo», mas também refere «reú
ne novamente». Entendem? Reunir novamente quer dizer reunir «outra vez» e não «reunir daqui a bocado que tenho as garrafas do champanhe no congelador e rebentam!»

Podem sempre dizer que foi legal. E se calhar foi, pois eu não petisco muito destas minudências legislativas, por isso não vou por aí.


Legal? Digamos que sim.
Mas ético?! Julguem vocês que a mim não me apetece!

Bom, detesto ler posts grandes e muito mais fazê-los. Este já vai grande, por isso vou deixar o resto para amanhã. Ou segunda, pois amanhã vou dar um docinho a mim e ao resto da famelga: Vamos ver o Cirque Du Soleil à capital.

Fico à espero dos vossos comentários. Porque eu sei que vocês também não andam a dormir!

Mas não me levem muito a sério. É que eu sou um papagaio! E daltónico!

Fonte: Google Images

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Pensamento Para o Fim de Semana

“Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos, e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores para o nosso planeta...”

Autor desconhecido

Flagrantes da Vida Real...

Fotografia tirada à entrada de qualquer escola... perto de si!
Foto: Professores a entrarem na escola

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Liga dos Campeões em Barcelona...

Ora bem, falemos um pouco de futebol.

Devo confessar que não sou grande fan do Barcelona, mas depois do grande baile que deram aos amigos do Cronaldo (um bocadinho de humildade não lhe ficava mal!), lembrei-me de outro do Barça, quando veio a Lisboa jogar com o Glorioso, em Março de 2006.

Ah, e especialmente para os meus amigos lagartos, não levámos 5 nem 7: ficou 0-0.

Vejam se reconhecem alguém (e não, não é o Ronaldinho).

video

Olha se a moda pega...

Fiquei estarrecido!

Faz-me lembrar aquela definição do que é a notícia:

é quando o homem morde o cão, nunca quando o cão morde o homem!

Por isso fiquei de boca à banda quando, hoje, dei com esta notícia no Sol que...

Bem, leiam e comentem!
Fonte: Google Images

«Tribunal condenou ex-aluno pelo crime
de injúria agravada a professor


O Tribunal de Vila Verde condenou um ex-aluno da Escola Secundária local pelo crime de injúria agravada a um professor ao pagamento de 300 euros de multa e de 500 euros de indemnização, disse hoje fonte judicial

A fonte adiantou à Lusa que, na sentença, agora transitada em julgado, o tribunal deu como provado que em Junho de 2006, João N., agora com 19 anos, dirigiu palavras injuriosas ao professor de Matemática - nomeadamente dois adjectivos, considerados popularmente como «palavrões» - por ter sido chamado a atenção quando brincava com o telemóvel na sala de aula.

O docente, segundo a sentença, «havia, repetidamente, chamado a atenção do aluno - do 10.º ano de escolaridade - que brincava constantemente com o telemóvel e não realizava os exercícios que lhe eram apresentados».

«O arguido ignorou as várias advertências que lhe foram apresentadas até que, ao ser mais uma vez, chamado à atenção pelo seu comportamento indevido, se levantou, arrumou o material escolar na mochila e abriu a porta da sala insultando o professor antes de sair da aula», refere o juiz que julgou o caso.

A condenação do ex-aluno foi baseada, entre outros factores, no depoimento de três ex-colegas de turma.

O tribunal concluiu que, ao proferir expressões insultuosas, «o arguido lesou a honra e consideração» devidas ao professor, tendo agido com dolo directo, ou seja, com vontade de o ofender.

Contactado pela Lusa, o queixoso - que solicitou anonimato - disse que apenas recorreu aos tribunais porque o aluno não lhe quis pedir desculpas pelo seu comportamento incorrecto, apesar de lhe ter dado oportunidade para o fazer.

Acresce que, acentuou, depois de ter decidido castigar o aluno com dois dias de suspensão, o Conselho Executivo da Escola anulou a pena, argumentando que o professor tinha deixado passar 12 dias antes de apresentar queixa, o que viola os regulamentos.

«Deixei passar alguns dias porque dei tempo ao aluno para reflectir e pedir desculpa, e, depois, porque tive um funeral de família», afirmou, frisando que pensou também que o Conselho Executivo iria agir autonomamente por, entretanto, ter tomado conhecimento do facto.

Lusa/SOL

Só para terminar.

Gosto, particularmente da parte que reza assim:

«Acresce que, acentuou, depois de ter decidido castigar o aluno com dois dias de suspensão, o Conselho Executivo da Escola anulou a pena, argumentando que o professor tinha deixado passar 12 dias antes de apresentar queixa, o que viola os regulamentos.»

Onde é que eu já vi isto?!

Mas afinal que sei eu? Sou apenas um papagaio. E daltónico!

Epá!!! Isto está bem frequentado!!

Fonte: Google Images

Ená pá, que isto anda bem «crowded»!!!

Após uma semana já tive mais de 270 visitas!!!

O que significa que as pessoas andam preocupadas com aquilo que se passa na nossa escola/Agrupamento, que se interessam e questionam.

E eu que pensava que andava tudo amorfo... É que me custa ver toda a escola sem reacção, sem alegrias ou tristezas, parece que só se preocupam em ir dar a próxima aula, e a outra... e ir para casa. E os alunos, Senhor?

Já agora, aproveito para agradecer aqueles que me deram algumas «bicadas», quer no blog, quer no meu correio «inlertónico», vulgo imeil!

E lanço aqui o desafio:

Quantos de vós não se sentiram identificados com as minhas críticas?

Ou não concordaram com aquilo que eu escrevi?

Ou queriam dizer mais qualquer coisa?

Pois bem, têm aqui um espaço onde poderão dar largas à vossa crítica, mordaz ou não, de tudo aquilo que nos cerca nesta Parvónia City, onde todos parecem necessitar de um choque eléctrico para acordar!

Para finalizar, deixem-me colocar uma «bicada» de Can, sobre as eleições para Director, que recebi hoje, logo a seguir à vitória (que bailinho!) do Barcelona sobre o United do Cronaldo:

«Olá!!!!
Eu também gosto de dar uma boa gargalhada, mas olhem que isto de rir tem os seus porquês... Ainda podem pensar que nós estamos a rir de alguém... No que me toca, não gosto de rir de ninguém, gosto mais de rir com alguém... Mas, olha, o que está a dar é mesmo falar de eleições...
Sabias que a DREAlentejo tem os projectos das escolas e, pessoas inteligentes como são, questionam-se como é possível que certos projectos tenham vencido... Sim, porque em primeiro lugar a Comissão concursal, bem como o Conselho Geral Transitório podiam ter pelas mãos projectos de pessoas que nunca viram na vida (aconteceu em muitas escolas e os melhores projectos ganharam e muitos de pessoas desconhecidas!!!)... É verdade ainda há gente que não se deixa levar em conversas, ameaças e outras coisas mais que não vale a pena enumerar... Fica para a próxima...
um riso
Can.»
E tenho dito!

Mas afinal o que sei eu? Sou apenas um papagaio. E daltónico!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

O cão de Obama

Aqueles que me conhecem sabem que, além de papagaio (e daltónico), também gosto de dar uma boa gargalhada.

Por isso fui ao site do Expresso e encontrei este cartoon de Mike Peters que tenho a certeza que vos irá agradar. (não, não é sobre eleições... Dessas falaremos mais tarde)


Fonte: Jornal Expresso

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Democracia, Eleições e... Papagaios (parte III)

Chegou-me à caixa de correio esta pérola do meu «colega» Paulo Guinote (em http://educar.wordpress.com/2009/05/05/imbroglio) sobre as eleições do Director numa escola... perto de si!

Ora vejam:

«Numa escola Secundária de Cascais, o único candidato a director foi “chumbado” por 9 votos contra e 8 a favor, tendo faltado 4 membros. Como a legislação não prevê estes casos nem a possibilidade de o concurso ficar deserto, a Presidente do Transitório resolveu solicitar explicações à DREL. Telefonicamente disseram-lhe que era entendimento do senhor secretário de Estado que bastava um voto a favor para o director ser eleito!!! A Presidente pediu para lhe escreverem isso e como será fácil de entender, não o fizeram. Entretanto pediram a acta da reunião e quiseram saber se todos os membros tinham estado presentes. E foram dizendo telefonicamente que talvez fosse melhor proceder a nova votação !!!. A Presidente pediu para o fazerem por escrito e, espantosamente, passado cerca de um mês chegou um fax, dizendo que a votação deveria ser repetida, já que segundo a legislação tratar-se-á de uma segunda volta !!! Inacreditável.

Esse tal candidato a director (actual Director do Centro de formação de Cascais) foi entretanto pressionando e até dizendo que o Conselho Transitório se estava a “meter numa fria.”!!! A falta de vergonha não tem limites e isto tudo com a complacência dos serviços do ministério.

Será evidente que o feitiço se vai virar contra o feiticeiro e em nome da defesa da democracia, é esperada uma reacção muito forte de todos os membros do Conselho Geral Transitório, mesmo daqueles que votaram a favor. Porque é a democracia que está em jogo e isso com certeza soará mais alto.»


E a procissão ainda só vai no adro...